Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Vacinação deve ser feita com duas doses a grupos prioritários, decide Ministério da Saúde

Por Agência Rádio 2 – 29/01/2021

 

Proposta para ampliar a vacinação a um número maior de pessoas e estender o prazo para aplicar a segunda dose foi negada pelo Ministério da Saúde.

O pedido partiu do governo de São Paulo para utilizar todas as doses da CoronaVac e imunizar maior número de pessoas.

Sem resposta direta à solicitação, o Ministério da Saúde informou, em nota, que não há evidências científicas de que a ampliação do intervalo oferece proteção necessária à população.

A recomendação vale para todas as unidades da Federação, conforme a pasta informou, também em nota, ao G1.

A recomendação da fase 3 dos testes é que o imunizante seja aplicado em duas doses, com intervalo entre 14 e 28 dias.

Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo – que reúne 20 especialistas – afirmou que a segunda aplicação, após 28 dias, pode ser mais eficaz, do ponto de vista científico-biológico.

Em 11 de janeiro, o ministro Eduardo Pazuello admitiu, em visita a Manaus, que estudava (naquele momento) ampliar a cobertura vacinal, com apenas uma dose da vacina de Oxford-AstraZeneca para mais pessoas.

Pazuello destacou que dessa forma seria possível reduzir o número de infectados.