‘Vacina Pirata, Não!’: Campanha alerta para pirataria de imunizantes contra a Covid-19

Por Agência Rádio 2 – 08/02/2021

 

Uma campanha lançada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública quer impedir a pirataria de vacinas contra o novo coronavírus.

Com o slogan “Vacina Pirata, Não!”, a pasta visa alertar os brasileiros de que, neste momento, apenas o poder público, por meio do SUS, o Sistema Único de Saúde, está autorizado a fornecer a vacina, de forma gratuita.

Ou seja, ainda não há autorização para comercialização do imunizante no Brasil.

Peças divulgadas nas redes sociais, lembram que o Plano Nacional de Vacinação e divulgado apenas nos canais oficiais dos governos municipais, estaduais e federal e que não há agendamento e nem confirmação de vacina por telefone ou mensagem de texto no celular.

A recomendação para quem receber algum contato do tipo é não fornecer dados pessoais.

De acordo com a Secretaria Nacional do Consumidor, mais de duas mil páginas virtuais suspeitas de estarem, de algum modo, oferecendo vacinas piratas ou induzindo o consumidor ao erro estão sendo investigadas.

Vale lembrar que qualquer vacina sem o selo de autorização e aprovação da Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, é falsificada e pode causar dados à saúde.

Denúncias sobre a comercialização ilegal de vacinas contra a Covid-19 podem ser enviadas para [email protected]