Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Tomate pressiona e prato feito encarece 23% em um ano; arroz e feijão impediram alta maior

Por Agência Rádio 2 – 11/05/2022 – Foto: Agência Rádio 2

 

A inflação, em curva de crescimento no nosso país, corrói o poder de compra do brasileiro.

O famoso prato feito é um ótimo exemplo para mostrar o quanto a inflação pressiona o custo de vida das pessoas.

Um estudo da FGV, a Fundação Getúlio Vargas, revelou que o famoso PF está, hoje, 23% mais caro do que estava um ano atrás – praticamente o dobro da inflação oficial no mesmo intervalo de tempo.

O que significa, em uma situação hipotética, que se o trabalhador pagava R$ 20 por um PF em maio de 2021, no mês passado precisou desembolsar R$ 24,6 pelo mesmo prato.

A inflação do prato feito considera a variação de dez itens: arroz, feijão-carioca, feijão-preto, alface, batata-inglesa, cebola, tomate, frango em pedaços, ovos e carnes bovinas.

O ingrediente que mais pressionou, no período, foi o tomate, que acumula alta de 127% em 12 meses – ou seja, os preços mais do que dobraram.

Tiveram aumentos relevantes também alface e batata inglesa.

Por outro lado, arroz e feijão-preto acumulam deflação e impediram uma alta ainda maior do custo do PF