Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

STF vai analisar se missas e cultos devem ser liberados; especialistas alertam para os riscos

Por Agência Rádio 2 – 06/04/2021

 

A participação ou não de fieis em cultos e missas, neste período de crescimento dos casos de Covid-19, deve ser definida na quarta-feira.

O assunto será analisado no plenário do Supremo Tribunal Federal, o STF, a partir das duas da tarde do dia sete de abril.

Os cultos presenciais tinham sido liberados no último sábado, véspera da Páscoa, pelo ministro da corte Kássio Nunes Marques, desde que cumpridos os protocolos sanitários para a prevenção da Covid-19.

A decisão atendia pedido da Associação Nacional de Juristas Evangélicos, contra decreto que suspendia as atividades religiosas na cidade de João Monlevade, em Minas Gerais.

A liberação valia para todo o País, pois de acordo com Nunes Marques, os Estados, municípios e o Distrito Federal não podem proibir completamente as celebrações religiosas presenciais.

No entanto, na segunda-feira, dia cinco, o também ministro do STF Gilmar Mendes decidiu manter em vigor decreto do governador João Dória, que veta a presença da população em encontros religiosos no Estado de São Paulo.

Ao negar processo movido pelo PSD, Mendes destacou que o cenário devastador da pandemia é suficiente para proibir que as pessoas compareçam a cultos ou missas.

Enquanto o Supremo não chega a um consenso, especialistas ouvidos pela BBC News alertam que as celebrações religiosas são ambientes de alto risco para infecções por Covid-19.

Além de serem realizadas, na maioria das vezes, em ambientes fechados, as orações e cantos propiciam a liberação de partículas virais no ar, algo tão perigoso quanto ir a um estádio de futebol cheio ou a um show.

Colabore com a Rádio Diocesana, seja um Amigo da Rádio. Entre em contato no fone (16) 3362-4485 ou pelas nossas Redes Sociais.