Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Sofrimento gerado nos adolescentes pelo distanciamento social pode passar despercebido

Por Agência Rádio 2 – 22/03/2021

 

Redução dos passeios e momentos de lazer, do contato com parentes e amigos, das saídas de casa.

A Covid-19 mudou a rotina da população no mundo todo.

No Brasil, permanecem as recomendações de manter o distanciamento, usar a máscara facial e o álcool em gel.

Chamadas de novo normal, as mudanças provocadas pela pandemia resultaram em aumento dos casos de estresse, insônia e insegurança.

O professor de psiquiatria da Infância e Adolescência da Faculdade de Medicina da USP, Guilherme Polanczyk, diz que os mais jovens também foram bastante afetados.

De acordo com o médico, o sofrimento deles é menos percebido, mas não menos importante.

Para os adolescentes, o afastamento gera muito estresse e a sensação de que a vida está parada.

O médico diz que quando o estresse começa a atrapalhar a vida do adolescente de uma forma muito importante, é preciso buscar ajuda.

Produzido pelo Instituto de Ciências Integradas em parceria com o UpJohn, uma divisão Pfizer, o guia destaca, por exemplo, a importância da atividade física para a prevenção das doenças mentais.

Também traz orientações para ajudar os pais na identificação dos sinais de estresse em adolescentes.

O material está disponível no site: guiasaudemental.com.br