Sem avançar na imunização, Brasil afirma que pode fornecer vacinas a países pobres

Por Agência Rádio 2 – 26/05/2021

 

No segundo dia da Assembleia Mundial da Saúde, o Brasil afirmou que está pronto para fornecer vacinas aos países mais pobres.

A declaração da delegação brasileira, sem data definida, nem destino para envio das doses, surpreende pela situação que o país se encontra, sem garantia de abastecimento de vacinas para a população.

Na semana passada, a Fiocruz e o Butantan estavam sem insumos para produzir vacinas, o que deixou em atraso a aplicação da segunda dose em milhões de pessoas.

Segundo apurou o colunista Jamil Chade, do UOL, a vacina que deve ser entregue aos países mais pobres é a Covax, por meio do consórcio criado pela OMS.

A orientação do organismo de saúde é para que os países que tenham doses extras destinam parte do estoque aos mais pobres, mas alerta para a disparidade, que pode comprometer a imunização global.

Inclusive para quem já atingiu taxas elevadas de vacinação.

O que não é o caso do Brasil.

Até dia 24 de maio, quase 10 POR CENTO da população estava completamente imunizada, com duas doses, e 20 POR CENTO receberam uma dose.

Os números equivalem a 20 milhões e 42 milhões de pessoas, respectivamente