Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

São Carlos tem aumento da mortalidade infantil em 2020

Da Redação – 12/11/2021

 

Segundo informações da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados, São Carlos teve aumento da mortalidade infantil em 2020 – ainda assim, se manteve abaixo das 10 mortes para cada 1.000 crianças nascidas vivas, de acordo com o órgão. A atualização foi lançada na quarta-feira (10).

A taxa de mortalidade do município ficou em 7,03 mortes para cada mil nascidos vivos, aumento de 21,4% sobre o índice de 2019, quando a cidade teve taxa de 5,79. a taxa local está abaixo da média do estado de São Paulo (9,75).

A fundação estatística apontou que o município teve 21 mortes de crianças menores de um ano. Os óbitos, 8 vitimaram bebês com até seis dias, 5 com tempo de vida entre sete e 27 dias e 8 entre 28 e 364 dias. São Carlos contou 2.986 nascidos vivos em 2020.

Entre os municípios vizinhos, Dourado é o que tem maior mortalidade infantil, com índice em 27,40 mortes para cada mil nascidos vivos. Na sequência, Itirapina (12,9), Ibaté (10,25), Ribeirão Bonito (7,75), Brotas (7,19) e Descalvado (2,82). Sem mortes, Analândia teve zero mortalidade no ano passado.

Com índice em 9,12 mortes para cada mil nascidos vivos, o Departamento Regional de Saúde (DRS-III), distrito sanitário que abrange 24 municípios, entre eles São Carlos e Araraquara, está entre os quatro com menores taxas de mortalidade infantil em São Paulo. São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e Campinas são os com mais baixas proporções de óbitos de bebês com menos de um ano.

A região contou 103 óbitos entre 11.288 nascidos vivos em 2020. Os municípios da DRS que mais tiveram mortes de bebês com menos de um ano são Araraquara (23), São Carlos (21), Porto Ferreira (11), Ibitinga (7) e Matão (7).