Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Santa Casa de São Carlos recebe doação de oito cadeiras de rodas de família de paciente

O casal de empresários fez a doação como forma de agradecimento pelos serviços prestados pelos profissionais da saúde

 

Os empresários Gislaine Almeida e Reginaldo Colombo doaram oito cadeiras de rodas para a Santa Casa como forma de agradecimento pelo tratamento dado à mãe de Gislaine. Dona Ivete Pereira de Almeida teve uma endocardite (inflamação interna no coração e nas válvulas cardíacas) e precisou ficar sessenta dias internada no hospital.

“Minha mãe adoeceu e durante um tempo buscamos tratamento para o caso dela. Quando a levamos para a Santa Casa, os profissionais conseguiram detectar o problema e chegaram a um diagnóstico e tratamento adequados. Ela passou por uma cirurgia delicada de muitas horas e, graças à doutora Virginia Rivas Arcia, cirurgiã cardiovascular, e à toda equipe, o procedimento foi bem sucedido. Toda a atenção e carinho que recebemos foram essenciais para a recuperação da minha mãe”, explica Gislaine.

Durante esse período, os empresários acompanharam de perto o trabalho dos profissionais da Santa Casa e as necessidades do hospital. “Vi o quanto os profissionais se esforçam para prestar um atendimento de qualidade e a falta de cadeira de rodas é algo que me chamou a atenção. Mas notamos que, mesmo com a falta de alguns materiais, os profissionais se desdobram para oferecer o melhor atendimento. Por isso, decidimos ajudar de alguma maneira, como forma de agradecer por todo o cuidado que recebemos”, afirma o empresário, Reginaldo Colombo.

O casal contou com a ajuda dos amigos Cláudio Italiano, Fernando Serafim, Leandro Taceli e Paulo De Luccas para adquirir as oito cadeiras de rodas. Atualmente, a Santa Casa possui 21 cadeiras de rodas. Mas para atender à toda demanda do hospital, esse número não é suficiente.

A Gerente de Práticas Assistenciais da Santa Casa, Vanísia Sulpino, explica que as cadeiras de rodas precisam de manutenção constante. Por esse motivo, essa doação vai contribuir muito para o trabalho do hospital. “Essa doação é muito importante, pois é um recurso utilizado na assistência para garantir a mobilidade e segurança do paciente. Além disso, é a valorização do trabalho da equipe de enfermagem e de todo corpo assistencial da Santa Casa”, comenta.

O auxiliar de Transportes da Santa Casa, Guilherme Lelis do Prado Kemp, conhece de perto a necessidade de cadeiras de rodas no hospital e o quanto essa doação vai acelerar o trabalho dos profissionais desse setor. “Muitas vezes, precisamos levar os pacientes rapidamente até o local do exame, mas perdemos muito tempo procurando por uma cadeira adequada. Com a doação feita por essa família, vamos conseguir agilizar o nosso trabalho e oferecer uma qualidade melhor no atendimento aos pacientes. Por isso, o sentimento é de gratidão por essa doação”, afirma o auxiliar.

Durante a entrega das cadeiras, a Enfermeira Bianca Pereira Ligabó se emocionou com o gesto dos empresários. “Não tenho palavras para agradecer. Muitas vezes não imaginamos o quanto nossas palavras e ações são importantes, não só para o paciente, mas também para o familiar. O carinho que ofertamos, também recebemos. Os pacientes marcam nossas vidas, assim como marcamos a vida deles. Essas demonstrações de carinho com o nosso trabalho nos ajudam a doar cada vez mais amor ao próximo”, relata a Enfermeira.

Para o Provedor da Santa Casa, Antônio Valério Morillas Júnior, esse gesto, além de proporcionar um resultado mais eficaz aos serviços oferecidos pelo hospital, é também uma forma de valorizar os profissionais da saúde. “Os nossos profissionais vestem a camisa e nos ajudam a enfrentar as dificuldades diárias. Esse reconhecimento da sociedade é muito importante, pois eles presenciaram de perto as dificuldades que o hospital enfrenta. É também um reconhecimento pelo trabalho oferecido pelos nossos colaboradores e pela Santa Casa. Recebemos com muita alegria essa doação que tanto vai contribuir para melhorar a locomoção dos pacientes que passam pelo hospital”.