Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Retomada da obrigatoriedade da prova de vida do INSS será escalonada; bloqueios de pagamentos começam em maio

Por Agência Rádio 2 – 01/03/2021

 

A obrigatoriedade da realização da prova de vida para receber pagamentos do INSS vai voltar a vigorar no mês de maio.

A prova de vida nada mais é que uma visita anual a uma agência do INSS ou ao banco no qual o dinheiro é depositado para comprovar que o beneficiário está vivo e que, portanto, segue com direito à aposentadoria, por exemplo.

Um procedimento adotado para evitar fraudes e pagamentos indevidos.

Por conta da pandemia, a obrigatoriedade da prova de vida foi suspensa no mês de março de  2020, com previsão inicial para durar 120 dias.

No entanto, a suspensão vem sendo prorrogada desde então.

Mas, a partir de maio, conforme portaria já publicada no Diário Oficial da União , os bloqueios de benefício para quem não fez a prova de vida voltarão a ocorrer, de forma escalonada.

Quem deveria ter feito a prova de vida até abril de 2020 e não realizou o procedimento, poderá ter o pagamento de benefício bloqueado a partir de maio deste ano, caso não se regularize até lá.

Em junho, serão bloqueados os depósitos de quem deveria ter realizado o procedimento em maio e junho do ano passado.

Em julho, a suspensão de pagamentos, caso a situação esteja irregular, acontece para quem tinha que ter provado estar vivo em julho e agosto do ano passado… e assim por diante, com último bloqueio previsto para o mês de novembro desse ano, atingindo aqueles que deveriam ter feito a prove de vida em março e abril de 2021 e que, porventura, ainda não tiverem realizado até o 11º mês deste ano.

Vale lembrar que, apesar da obrigatoriedade estar suspensa, o INSS recomenda que os aposentados e pensionistas regularizem a situação o quanto antes.

Quem se sentir seguro, pode ir até a agência do banco que recebe o benefício.

Mas também pode fazer de maneira digital. Na semana passada, em uma transmissão pela internet, o presidente do Instituto, Leonardo Rolim, anunciou que os mais de 5 milhões de aposentados e pensionistas que não fizeram a prova de vida no ano passado podem regularizar a situação de maneira remota.

A prova de vida digital é feita por biometria facial.

São usadas as bases de dados do Departamento Nacional de Trânsito e do Tribunal Superior Eleitoral.