Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Recusar uma vacina para priorizar outra específica atrasa a cobertura contra o vírus no País

Por Agência Rádio 2 – 19/07/2021

 

Cerca de 75 e meio por cento das cidades brasileiras já registraram casos de pessoas que tentam escolher qual vacina tomar contra a Covid-19.

O crescimento é de cinco por cento em uma semana, informa a Confederação Nacional de Municípios.

Neste último levantamento, a pesquisa da entidade ouviu cinco mil 500 prefeitos, entre os dias 12 e 15 de julho.

Em entrevista à CNN, o pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz, a Fiocruz, Raphael Guimarães, diz que a prática de escolher o imunizante atrasa o calendário e a cobertura vacinal.

Na avaliação do especialista, isso acontece por questões pessoais e por desinformação.

A pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios mostra que as menores rejeições são em relação aos imunizantes da Pfizer, de um vírgula nove por cento, e da Janssen, de três vírgula três por cento.

Guimarães acredita que o primeiro é menos recusado porque é bem aceito nos Estados Unidos e o segundo, por ser aplicado em dose única.

Colabore com a Rádio Diocesana, seja um Amigo da Rádio. Entre em contato no fone (16) 3362-4485 ou pelas nossas Redes Sociais.