Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Puxada pela alta da gasolina, prévia da inflação fica em 0,48% em fevereiro

Por Agência Rádio 2 – 25/02/2021

 

Pressionada pelo aumento do preço dos combustíveis, em especial o aumento do valor da gasolina, a prévia da inflação oficia ficou em 0,48% em fevereiro.  

De acordo com o IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é o maior resultado do IPCA-15 para o mês de fevereiro desde 2017, quando o índice foi de 0,54%. 

Em fevereiro de 2020, para comparação, o IPCA-15, que acumula alta de 4,57% em 12 meses, ficou em 0,22%.  

Como eu mencionei há pouco, o maior impacto individual no índice do mês veio da gasolina, cujos preços subiram pelo oitavo mês consecutivo. O aumento verificado foi de 3,52% – e também houve altas relevantes nos preços do óleo diesel e do etanol.  

Ainda segundo o IBGE, a alta nos preços dos combustíveis pressionou o grupo dos transportes tivesse alta de 1,11% na parcial do mês, bem acima do resultado no IPCA-15 de janeiro, quando o aumento verificado foi de 0,14%. 

Mas, embora o grupo de transportes tenha sido o que mais pressionou o IPCA-15 de fevereiro, a maior alta foi registrada no grupo de Educação: 2,39% – o que fez com que o grupo fosse responsável pelo segundo maior impacto no indicador. 

Reajuste anuais das mensalidades escolares ajudam a explicar a alta.  

Por outro lado, alguns produtos e serviços ficaram mais baratos e frearam o avanço da prévia da inflação oficial.  

Os grupos de Habitação e o de Alimentação e Bebidas, que têm grande peso na composição do indicador, ajudaram a conter a inflação no mês.  

Destaque para a redução de 4,24% nas tarifas de energia elétrica, por causa da mudança da bandeira tarifária, que passou de vermelha patamar 2, em dezembro, para amarela, em janeiro e fevereiro e para a queda nos preços da batata-inglesa, do leite longa vida, do óleo de soja e do arroz, na passagem do primeiro para o segundo mês de 2021.