PIX domina em quantidade de operações, mas perde em valores para as TEDs

Por Agência Rádio 2 – 17/02/2021

 

O PIX completou, nesta semana, três meses de operações plenas e o Banco Central divulgou números sobre as movimentações realizadas por meio do novo sistema.

De acordo com os dados oficiais, apenas neste ano de 2021, já foram finalizadas mais de 286 milhões de operações por meio do PIX, mais que 5 vezes o total de operações realizadas via TED, por exemplo, que somam 53 milhões e 200 mil transferências no mesmo período.

Apesar disso, em valores, o TED ganha.

O PIX movimentou R$ 225 bilhões neste ano, as TEDs, R$ 2,7 trilhões, montante mais de 10 vezes superior ao novo sistema.

A principal explicação é o fato do PIX ser usado ainda, basicamente, na transferência de pessoa para pessoa, o que o BC chama de P2P.

O fechamento de janeiro revela que praticamente 82 de cada 100 transações via PIX foram nessa modalidade – a que envolve valores menores.

As movimentações realizadas por empresas, que garantiria volume à plataforma, as chamadas transações B2B, representaram apenas 2,5% do total do mês de janeiro.

Já em relação às chaves, o Banco Central diz que o sistema já tem mais de 159 e 300 mil cadastradas. No fim de 2020, para comparação, o total de chaves beirava 134 milhões.

Chave Pix, se você ainda não sabe, é uma espécie de ‘apelido’ utilizados para identificar a sua conta, pode ser o CPF, um número de celular, um email ou até mesmo uma combinação alfanumérica aleatória, gerada automaticamente.

Pessoas físicas podem cadastrar até 5 chaves por conta em banco ou fintech e pessoas jurídicas têm direito a cadastrar até 20 diferentes chaves, também por conta.

As chaves cadastradas por pessoas físicas passam de 152 milhões e, por pessoas jurídicas, somam quase 7 milhões, segundo os dados mais atuais.