Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Pandemia sacrifica a economia e milhares de brasileiros dependem da solidariedade para sobreviver

Por Agência Rádio 2 – Imagens de internet – 19/08/2021

 

Ao longo de mais de um ano e meio de pandemia,  projetos sociais ganharam ainda mais relevância no nosso país. 

A crise sanitária sacrificou a economia e milhares de famílias brasileiras, sem renda, passaram a depender da solidariedade para sobreviver. 

Estima-se que o número de pessoas que vivem em insegurança alimentar, por exemplo, tenha saltado de  57 milhões, em dezembro de 2020, para 116 milhões de pessoas em meados de 2021.

Ao menos 43 milhões de pessoas no  nosso país não têm acesso aos alimentos em quantidade suficiente e 19 milhões passam fome.

São muitas as ações solidárias, de norte a sul do Brasil, que trabalham para minimizar esse enorme problema social. 

Como a Associação Semeadora, que surgiu pela iniciativa de um grupo de empresários cristãos. Eles uniram forças e, entre outras ações, passaram a distribuir cestas básicas para a população desassistida, como conta o empresário e educador Arthur Machado, presidente e um dos criadores da Associação Semeadora.

Mas o trabalho da Associação vai além da dar assistência alimentar às pessoas, busca transformar vidas:

Quem quiser, pode somar forças e até passar a fazer parte dessa iniciativa.

Tem informações no site semeadora.org. No Instagram, o perfil é o @associacaosemeadora.