Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Pacientes que tiveram Covid-19 relatam falta de ar após cura

Por Agência Rádio 2 – 19/04/2021

 

A Covid-19 é diferente de um resfriado ou gripe comum em muitos aspectos.

Quando o paciente contaminado com o novo coronavírus desenvolve as formas mais leves da doença, os sintomas podem até pode ser confundidos: dor de garganta, coriza, tosse seca e, algumas vezes, febre baixa.

Mas a infecção causada pelo coronavírus, na maioria dos pacientes, também causa a perda do olfato e a alteração do paladar, que são sintomas marcantes da Covid-19 em sua manifestação mais leve.

Nos casos mais graves, os pacientes sofrem com a falta de ar mais intensa e queda de oxigenação, o que os leva à internação e, em alguns casos, necessidade de intubação e ventilação mecânica.

A recuperação de um paciente com Covid-19 também é bastante diferente daquele que é diagnosticado com gripe ou resfriado comum, com explica o pneumologista da rede de hospitais São Camilo de São Paulo, Celso Padovesi.

SONORA – “Quando o paciente pega um resfriado comum, por exemplo, em geral, após 7, 10 dias, ele já está totalmente recuperado, às vezes nem se lembra que teve alguma coisa. Já a gripe, ou às vezes é confundida com resfriado, mas são coisas diferentes – a gripe, causada pelo vírus influenza – ela também pode variar muito de quadros leves a quadros muito graves. Nos quadros leves a moderados, em geral, dentro de 10 a 15 dias, o paciente também já está totalmente recuperado e já nem lembra mais que teve alguma coisa, a recuperação também costuma ser mais rápida do que a covid. Já na Covid-19, mesmo os pacientes com quadros leves e moderados podem apresentar algum tipo de sintoma durante semanas a meses. E os quadros graves, aí sim, com certeza, o paciente terá sintomas por muitos meses. “

Segundo o médico Celso Padovesi, muitos pacientes recuperam olfato e paladar, por exemplo, em alguns dias, mas há casos de pacientes que ainda apresentam alterações após meses.

Outro sintoma bastante comum de persistir é a falta de ar:

SONORA – A falta de ar no pós covid, ela é multifatorial, ou seja, tem diversas situações que podem estar presentes, causando essa falta de ar e isso varia muito de paciente para paciente. Então, citando algumas das principais causas, a mais temida e a pior de todas, é uma sequela pulmonar que nós chamamos de  fibrose pulmonar, que, felizmente, não é a causa mais comum de falta de ar no pós-covid, porém, costuma deixar uma falta de ar mais intensa e que pode persistir por muitos meses  e anos e, alguns casos, pode nunca melhorar – isso comparando com fibrose pulmonar que acontece depois de outras doenças pulmonares, né, porque covid é uma doença que tem pouco mais de um ano, então não podemos dizem em sequelas que vão além desse prazo.”

A perda muscular é outra explicação, como detalha o pneumologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo:

SONORA – É muito comum os pacientes terem uma perda de peso durante a doença e essa perda de peso é às custas de massa magra, ou seja, de músculo, e essa perda muscular causa bastante fadiga, cansaço, falta de ar aos esforços físicos. E o que ajuda a melhorar essa falta de ar é fazer uma fisioterapia focada na reabilitação, uma atividade física acompanhada por algum profissional que oriente e, com o tempo, essa massa muscular vai sendo recuperada e o paciente vai melhorando da falta de ar.

A orientação para o paciente recuperado de Covid-19 é passar por avaliação com um pneumologista, para saber se a doença deixou sequelas nos pulmões.