OMS recomenda reforço das medidas sanitárias para frear Covid-19 no Brasil; contaminação cai 14% por semana no mundo

Por Agência Rádio 2 – 21/06/2021

 

Organização Mundial da Saúde (OMS) voltou a alertar o Brasil para o reforço das medidas sanitárias, principalmente o uso de máscaras, para conter a Covid-19.

A entidade novamente pediu que o país seja rigoroso no incentivo às formas de proteção contra o vírus, e destacou que só as vacinas não serão suficientes para frear a pandemia.

Em Genebra, a vice-diretora da OMS, Mariângela Simão, declarou que vê com tristeza os números crescentes de mortes e contaminações, e que o organismo internacional se solidariza com os familiares das vítimas.

Disse que o ocidente ainda é alvo de larga expansão da doença, onde na América, em especial, no Brasil, o número de casos ainda é muito alto.

O país também foi parabenizado pela capacidade de produção e distribuição de vacinas, mas segundo Mariângela, não pode descuidar das medidas de prevenção.

Chamou de controvérsa a proposta do presidente Bolsonaro de avaliar o fim do uso de máscara, já que o acessório continua sendo recomendado pela OMS quando não é possível manter o distanciamento.

Evitar aglomerações e lavar as mãos também foram medidas destacadas pela vice-diretora, uma vez que a crise sanitária continua pressionando a saúde pública.

Já o diretor de operações da OMS, Mike Ryan, pediu mais celeridade dos gestores de saúde na vacinação por causa das variantes, que se alastram rapidamente.

A pandemia registra, no mundo, queda de 14% de novos casos a cada semana, e a menor taxa de infecção desde fevereiro.

A OMS pretende vacinar 10% de todos os países mais pobres até setembro e chegar a 40% em dezembro.