Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Mês de Conscientização sobre o câncer cerebral, Santa Casa alerta sobre importância do Diagnóstico precoce

Com Informações da Assessoria da Santa Casa de São Carlos – 28/05/2021

 

O câncer cerebral está entre os dez tipos mais frequentes e não tem prevenção. Por isso, é preciso estar atento aos sintomas

 

Heitor Romero, três meses depois da cirurgia para retirada do tumor cerebral – Foto: Assessoria Santa Casa

O cérebro é o órgão do nosso corpo responsável por coordenar todas as nossas funções: fala, coordenação motora, memória, raciocínio e atenção. Quando esse órgão é afetado por um tumor, células anormais passam a crescer de forma desordenada, inclusive nas meninges (membranas que revestem o cérebro) e na medula espinhal.

Este tipo de câncer está entre os dez mais frequentes entre os adultos, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Entre as crianças, o tumor cerebral é o terceiro tipo mais comum. Em 2021, foram registrados 11.100 mortes por causa da doença.

Segundo o neurocirurgião e coordenador do Serviço de Neurocirurgia da Santa Casa, Danillo Vilela, o câncer no cérebro está relacionado a fatores genéticos e ambientais, exposição à radiação, tabagismo e alcoolismo. “Mas, infelizmente, além de cultivar uma vida saudável, evitando esses vícios, não existe uma forma concreta de prevenção. Por isso, o diagnóstico precoce é a melhor forma de evitarmos as mortes”, explica.

Para conscientizar a população sobre a doença e alertar sobre os principais sintomas do câncer de cérebro, é que foi criado o Maio Cinza. São sinais comuns do câncer de cérebro: dor de cabeça, crise convulsiva, tontura, falta de equilíbrio, desmaios, alteração na visão, gagueira e perda da fala, dormência ou formigamento nas pernas ou braços, alteração no comportamento e no humor, dificuldade para ficar em pé ou para andar e alteração na coordenação motora.

Na Santa Casa de São Carlos, o tratamento dos tumores cerebrais é feito de forma integral pela neurocirurgia e oncologia, que são referência para os quase 400 mil habitantes da microrregião que abrange 6 municípios (além de São Carlos, Descalvado, Porto Ferreira, Ibaté, Ribeirão Bonito e Dourado) nos atendimentos que necessitam de procedimentos neurocirúrgicos como esse.

 

Equipe de Neurocirurgia da Santa Casa de São Carlos em um dos procedimentos – Foto: Assessoria Santa Casa

A Neurocirurgia da Santa Casa conta com 6 neurocirurgiões, especialistas em diversas áreas: neurocirurgia pediátrica, oncologia, vascular, coluna e dor. Conta com um serviço de plantão 24h para atender as emergências neurocirúrgicas. Além de manter no Centro Cirúrgico do hospital, equipamentos e monitores de ponta para tratamento das doenças neurológicas.

O pequeno Heitor Gonçalves Romero, de apenas 2 anos, foi diagnosticado com tumor cerebral e passou por cirurgia há 3 meses. “O Heitor, aos 3 meses, parou de ganhar peso. A partir de então, começamos uma maratona para buscar um diagnóstico. Passamos por vários médicos, inclusive particulares. Fomos até Ribeirão Preto, mas sem sucesso. Em fevereiro, fomos encaminhados para a Santa Casa e com o resultado da ressonância magnética veio o diagnóstico. No mesmo mês, o Heitor já passou pelo procedimento cirúrgico para a retirada do tumor”, conta a mãe do menino, Maiana Almeida Gonçalves.

Segundo a família, o garoto está se recuperando muito bem. Quando o Heitor foi diagnosticado, havia o risco de ele não falar mais, não comer sozinho e nem andar. Agora, 3 meses depois da cirurgia, é como um milagre: ele já voltou a falar, a comer e está passando por sessões de fisioterapia para voltar a andar. Sou grata ao atendimento recebido no hospital. Fomos super bem atendidos e acolhidos”, relata a mãe.

 

 

 

 

 

Colabore com a Rádio Diocesana, seja um Amigo da Rádio. Entre em contato no fone (16) 3362-4485 ou pelas nossas Redes Sociais.