Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Mercado de produtos e serviços para animais de estimação se adapta e cresce em meio à pandemia

Por Agência Rádio 2 – 08/04/2021

 

A pandemia de coronavírus assola o mundo há mais de um ano e, entre os muitos aspectos dessa situação, está a transformação profundas de hábitos, costumes e modelos de negócio.

Um exemplo de mercado que tem se adaptado e até conseguido crescer em meio à crise sanitária é o de produtos e serviços para animais de estimação, o mercado pet.

Segundo dados do Instituto Pet Brasil, o faturamento do setor beirou R$ 41 bilhões de reais no ano passado, um aumento de 15% em relação a 2019, quando o faturamento ficou na casa de 35 bilhões e 400 milhões de reais.

O setor não parou em meio à pandemia, porque é considerado um serviço essencial, mas foi preciso se adaptar.

O adestrador Luciano Pereira, por exemplo, que costumava atender presencialmente os clientes, precisou mudar para o ambiente virtual para continuar garantindo renda.

E, em meio a tantas mudanças, viu a possibilidade de crescer com a ajuda da tecnologia.

Não foi apenas o adestrador Luciano Pereira que encontrou no ambiente virtual um caminho para sobreviver em meio à crise.

O setor como um todo passa por uma transformação digital e os números do varejo demonstram isso.

Estudo realizado pela Ebit/Nielsen revela a que variação percentual da quantidade de pedidos online de produtos para animais de estimação foi de 143%, na comparação a 2019, e o e-commerce do setor aumentou 108%.

Colabore com a Rádio Diocesana, seja um Amigo da Rádio. Entre em contato no fone (16) 3362-4485 ou pelas nossas Redes Sociais.