Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Mais de 2.500 proprietários de veículos de São Carlos e região receberão notificação de débitos do IPVA

Da Redação – 29/04/2021

 

Mais de 2.500 proprietários de veículos de São Carlos e região receberão nos próximos dias notificação de débitos do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). São devidos mais de R$ 2,5 milhões de reais ao Governo do Estado somente na região.

Segundo a Secretaria Estadual da Fazenda, as notificações serão enviadas para proprietários de veículos com placas finais 9 e 0 que estejam devendo o imposto do ano passado e todos os proprietários que estão com débito em aberto dos anos anteriores.

Em São Carlos são 2.011 proprietários com R$ 1.996.926,78 em débitos. Na região, Ibaté é a cidade com o segundo mais número de devedores, com 196 veículos com impostos atrasados que somam R$ 183.567,36.

Na sequência vêm Descalvado, com 159 devedores e R$ 144.617,92, Dourado, com 71 proprietários com impostos em haver que somam R$ 75.178,91. Em Ribeirão Bonito, há 70 inadimplentes listados. Por lá o total da dívida chega a R$ 66.872,98. Em Itirapina são 65 devedores, com R$ 67.217,06 em débitos.

São Carlos tem posição intermediária, com quase R$ 2 milhões em IPVAs atrasados. Araraquara apresenta a lista mais extensa de devedores, com 2.245 inscritos que somam R$ 2.306.146,10. Em Rio Claro, cidade com menor quantidade na comparação, são 1.891 débitos em haver que somam R$ 1.871.265,07.

No Estado, o lote de notificações reúne 405.263 débitos (cada veículo pode ter débito em mais de um exercício) que totalizam R$ 397.215.435,99. A relação foi publicada no Diário Oficial do Estado de sábado (24).

Segundo a Secretaria de Fazenda, o contribuinte deve pagar o imposto em até 30 dias ou efetuar a defesa em até 30 dias após o recebimento da notificação. O pagamento pode ser feito via internet ou nas agências bancárias, bastando informar o número do Renavam e o ano do débito a ser quitado.

Caso o pagamento não seja realizado, o contribuinte terá seu nome inscrito na dívida ativa do Governo do Estado. A cobrança é realizada pela procuradoria-geral do estado, que poderá fazer a cobrança judicial.