Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Maioria dos candidatos apoiados por Bolsonaro não se elege; ‘Presidente não entrou de cabeça’, diz Mourão

Por Milena Abreu, da Agência Rádio 2

 

O apoio do presidente Jair Bolsonaro à candidatura de postulantes aos cargos de vereadores e prefeitos das cidades brasileiras não foi bem recebido pelos eleitores.  

Pelo menos, é o que indica o desempenho desses candidatos.  

A maioria deles não se elegeu.  

De acordo com reportagem publicada no portal de notícias G1, dos 45 candidatos a vereadores, incluindo suplentes, que tiveram apoio declarado do presidente da República em 27 cidades, apenas 10 se elegeram – entre eles seu filho Carlos Bolsonaro, do Republicanos, que garantiu uma vaga na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro com 71 mil votos.  

Na disputa pela prefeitura, 9 de 13 apostas de Bolsonaro foram derrotados nas urnas.  

Além disso, no Mato Grosso, que, além das escolhas para prefeitos e vereadores nos municípios, teve eleição suplementar para uma vaga no Senado, que foi aberta após a cassação de Selma Arruda, no ano passado, o presidente apoiou a candidatura da coronel Fernanda, do Patriotas, que não se elegeu. 

Ao comentar sobre o fraco desempenho dos candidatos apoiados por Bolsonaro, o vice-presidente da República Hamilton Mourão afirmou que não se pode “debitar” os resultados das eleições municipais ao presidente, já que ele “não entrou de cabeça” na campanha. 

Vale lembrar que, no sábado, o presidente havia postado em seu perfil no Facebook uma relação com os nomes de 13 candidatos, entre prefeitos e vereadores, que apoiava no primeiro turno. 

Da lista, apenas 2 candidatos a prefeito venceram: Mão Santa, do DEM, que se reelegeu em Parnaíba, no Piauí, e Gustavo Nunes, do PSL, vitorioso em Ipatinga, Minas Gerais.  

O post, no entanto, foi apagado após o início da apuração dos resultados do pleito, no domingo