Joe Biden retoma democracia com volta à OMS e ao Acordo do Clima

Da Redação

 

Presidente dos Estados Unidos, empossado na quarta-feira, tem pela frente uma lista de 17 decretos que serão assinados como primeiro ato do governo democrata.

A lista inclui a volta ao Acordo de Paris para reduzir a emissão de gases de efeito estufa e ao grupo de países-membros da Organização Mundial da Saúde (OMS), além da criação de medidas de combate à pandemia.

No discurso, Joe Biden disse que ABRE ASPAS A democracia prevaleceu FECHA ASPAS ao se referir à vitória sobre o republicano Donald Trump.

E agradeceu a presença de representantes de ambos os partidos na cerimônia.

Afirmou que assume a missão de mudar a direção dos Estados Unidos e recolocar um país dividido no caminho da normalidade.

Com a promessa de viver uma história de união, o democrata definiu como prioridades imediatas, quatro principais áreas onde encontrou o que chamou de “falhas do legado republicano”.

Exatamente as que listou como “crises convergentes” e que contemplou nos decretos que suspendem ações instituídas por Trump: pandemia de coronavírus, crise econômica, meio ambiente e questões de imigração e diversidade.

Entre as medidas, Joe Biden vai revogar a declaração de emergência, que financia a construção de um muro na fronteira dos Estados Unidos para afastar imigrantes e o restabelecimento de um conselho na Casa Branca para agir contra a disparada da Covid-19.

De cara, o novo comando norte-americano adota medidas sanitárias preconizadas por organismos internacionais de saúde e institui a obrigatoriedade do uso de máscara por 100 dias até que a cobertura vacinal atinja a maioria da população.