Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Igreja comemora o ‘dia do diácono’, na festa de São Lourenço

Por Sidney Prado – Assessoria de Comunicação da Diocese de São Carlos | Foto: Pascom Paróquia São Nicolau – 10/08/2021

 

Neste dia 10 de agosto, dia de São Lourenço, Dom Eduardo Malaspina presidirá a solene Celebração Eucarística com os diáconos da Diocese na Catedral de São Carlos, às 19h30. Para saber como participar, respeitando os devidos protocolos, entre em contato com a Catedral através do telefone: 16. 3371-2277, das 08h ás 16h. Os fiéis também poderão acompanhar a Missa de suas casas, pela página da Diocese no facebook, ou pela Rádio Diocesana à SDS FM 93.3, site e aplicativo.

Afinal, o que é o diaconato? Quem é chamado a servir como diácono?

O diácono é uma vocação ministerial para o serviço, seu nome vem do termo ‘diaconia’ que significa serviço. O ministério diaconal possui três dimensões: o serviço da Palavra de Deus, o serviço da Caridade e o serviço da Liturgia e realizam atividades essenciais para a vida da Igreja. Segundo o Catecismo da Igreja Católica, ele podem assistir os bispos e sacerdotes nas celebrações dos divinos mistérios, sobretudo da Eucaristia e, assim distribuí-la; assistir ao batismo e matrimônio e abençoá-lo, proclamar o evangelho e pregar, presidir os funerais e consagrar seus diversos serviços da caridade.

Você Sabia?

Na Diocese de São Carlos são atualmente 56 homens casados, que entre família, trabalho e sociedade, dedicam seu tempo também para Igreja.

Os diáconos podem ser transitórios ou permanentes. O diaconato transitório é o primeiro grau do Sacramento da Ordem. Os diáconos transitórios permanecem por um período específico até completar sua formação e serem ordenados sacerdotes. O diácono permanente é a expressão do ministério ordenado colocado o mais próximo possível da realidade laical e do protagonismo dos leigos.

Quem foi São Lourenço?

São Lourenço era o primeiro dos sete diáconos a serviço da Igreja de Roma. Devia ter uma boa formação acadêmica, pois, seu cargo era de muita responsabilidade e importância. Depois do Papa Xisto II, era o responsável pela Igreja. Ele era o assistente do Papa nas celebrações e na distribuição da Eucaristia. Além disto, ele era o único administrador dos bens da Igreja, cuidando das construções dos cemitérios, igrejas e da manutenção das obras assistenciais destinadas ao amparo dos pobres, órfãos, viúvas e doentes.

Nossa saudação, aos nossos diáconos pela doação em servir com grande relevância para a Igreja e de forma especial a nossa Diocese de São Carlos, continuem a serem missionários: “Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16,15).