Governo federal restringe exportação de agulhas e seringas, insumos essenciais para vacinação contra Covid

Por Agência Rádio 2 – 04/01/2021

 

O governo federal anunciou medidas para restringir a exportação de agulhas e seringas fabricadas no país.

Desde sexta-feira, primeiro de janeiro, a Secretaria de Comércio Exterior, que é um órgão ligado ao Ministério da Economia, exige uma licença especial para autorizar a venda desse tipo de insumo ao exterior.

O objetivo é viabilizar uma quantidade maior de agulhas e seringas para atender ao Plano Nacional de Operacionalização contra a covid-19.

Ainda assim, uma grande quantidade desses itens terá que ser importada, uma vez que a produção nacional é insuficiente.

O Ministério da Saúde afirma que, no momento, os postos de vacinação do país contam com estoque “satisfatório” de seringas, mas não entra em detalhes sobre a quantidade.

Há alguns dias, o jornal Folha de S. Paulo publicou que o Ministério da Saúde conseguiu comprar menos de 8 milhões das 331 milhões seringas que precisa para aplicar as vacinas contra o novo coronavírus no país.

Nas redes sociais, no entanto, a pasta tratou a informação como fake news e garantiu que “o processo de compra de seringas e agulhas pelo Ministério da Saúde está ocorrendo de forma regular e dentro do trâmite legal”