Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Governo avança na ampliação de aeroportos da região

O Governo de São Paulo à disposição da iniciativa privada todas as informações sobre os 22 aeródromos administrados pelo DAESP (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo), incluindo “Bartholomeu Gusmão”, em Araraquara.

De acordo com o Estado, trata-se da última etapa antes da publicação do edital de licitação, a ser conduzida pela Secretaria de Governo, por meio da ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo).

O Dataroom, como é chamado o espaço com as informações para os investidores, dará aos interessados acesso a toda documentação dos aeroportos, como plantas, contratos vigentes, convênios, ações judiciais, entre outros.

O projeto de concessões, já apresentado em audiência pública virtual em 12 de maio, também estará disponível.

O Vice-Governador  e Presidente do Conselho Gestor de Concessões, Rodrigo Garcia,  reforçou que a ideia é agitar o mercado para que os interessados comecem, de posse das documentações, a calcular as vantagens competitivas da concessão e se preparem para o edital.

A desestatização, segundo a ARTESP, permitirá investimentos de R$ 700 milhões nos aeroportos regionais de São Paulo em 30 anos de contrato.

De acordo com o Governo do Estado, nove dos 22 aeroportos têm serviços de aviação comercial regular e 13 são destinados à modalidade executiva, e movimentam juntos 2,4 milhões de passageiros por ano, considerando embarques e desembarques.

Eles serão divididos em dois lotes no processo de licitação internacional, puxados pelas duas principais unidades, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto.

O aeroporto de Araraquara integra o grupo sudeste. Liderado pelo aeroporto de Ribeirão Preto, este lote é composto por nove unidades, sendo que outros 4 também são unidades comerciais: Marília, Bauru, Araraquara e Franca.

Já os de aviação executiva são os aeroportos de São Carlos, Sorocaba, Guaratinguetá e Registro. Os investimentos a cargo da concessionária vencedora ao longo do contrato serão de R$ 233 milhões, dos quais R$ 88 milhões serão desembolsados nos três primeiros anos.

A previsão é de que o edital de licitação seja publicado até janeiro de 2021 e o leilão, realizado em abril. A expectativa é de assinatura do contrato até julho/agosto.