Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Festa de São Vicente de Paulo, em Itápolis

Neste domingo (27) Dom Paulo Cezar Costa, esteve presidindo a Festa de São Vicente de Paulo, em Itápolis.

Após um jubiloso Tríduo em honra a São Vicente, celebrado cada dia por um padre convidado. O nosso Bispo Diocesano, encerrou as festividades numa solene Missa ao lado do administrador paroquial, Padre Luiz Melo.

Durante a homilia, Dom Paulo Cezar ressaltou, com sabedoria, duas grandes virtudes do São Vicente, sendo essas: sua humildade e sua profunda caridade. Virtudes das quais São Vicente usou para não ser apenas um homem de belas palavras, mas também de grandes e pequenas atitudes que edificaram tantas obras para com os irmãos mais necessitados.

Ainda falando das leituras do dia, o senhor Bispo falou da necessidade do “sim” ao serviço a Santa Igreja, deu ênfase para que não sejamos homens e mulheres apenas de palavras ou “sins” vazios, mas que possamos nos doar ao serviço da “Vinha do Senhor” com grande alegria e ardor.

Ao final da celebração, nosso Bispo Diocesano deu a benção ao “Bolo de São Vicente” e em mais de 300 marmitas, as quais foram entregues pelos Vicentinos para as famílias assistidas das conferências da Sociedade de São Vicente de Paulo de toda a cidade.

Ainda no salão, reunido com uma parcela dos vicentinos itapolitanos que estavam a preparar o alimentos as famílias assistidas, Dom Paulo Cezar os dirigiu palavras de carinho e afeto, demonstrando o quanto são importantes para a propagação do evangelho de Cristo e o quanto o trabalho de caridade é essencial paro com os irmãos e irmãs necessitados, principalmente em tempos tão difíceis como esses vividos na realidade da pandemia.

Mesmo sem poder abraçar ou ao menos apertar as mãos dos fiéis, o senhor Bispo transbordou alegria e gratidão para com todos, e por meio de sua benção, pediu para que Deus continue a abençoar e conduzir toda a Sociedade de São Vicente de Paulo e toda a comunidade paroquial por caminhos de humildade, caridade e fraternidade entre os irmãos, principalmente aqueles excluídos pela sociedade contemporânea.