Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Fé e Engajamento Social na Pandemia

Por Diácono Carlos Alberto Pavan – 12/03/2021

 

O Plano Diocesano de Pastoral 2020 – 2023, nas páginas 08 e 09, na temática: Os desafios da missão – “O mundo das cidades, por uma mentalidade que nelas é gerada e alimentada, é um espaço de individualidade, que por um lado é bom, quando se firma a dignidade da pessoa, mas por outro, gera o agudo individualismo, em detrimento da comunhão”.

São Tiago 2,14-26 em sua carta aponta que ter Fé, mas a mesma não se traduz em obras, a Fé se faz totalmente morta. Pelas obras também se conhece a Fé, assim sendo a Fé se dá consequente, se apresenta promotora de vida e vida em abundância (Jo 10,10). Santo Antonio de Pádua (Lisboa), Presbítero e Doutor da Igreja, num dos seus Sermões, “A Palavra é vida quando são as obras que falam”, aponta a necessidade de cessarem, portanto, os discursos e falem as obras.

Estamos em todo o mundo vivendo um processo de PANDEMIA, que está levando muitas vidas à morte, a perderem a esperança; o Comércio, as Indústrias, todos os seguimentos, se veem na necessidade de fecharem as portas para conterem a movimentação e aglomeração de pessoas, assim, buscar diminuir o contágio pelo CORONA VIRUS, COVID 19.

Nestes últimos tempos, presenciamos muitas “pessoas morrendo”, conhecidos ou não, também muitas famílias, pessoas, passando por necessidades extremas. Estas realidades promoveram a solidariedade, mobilizando tantos (as) a doarem o que possuem e também tempo para o outro (a).

O individualismo presente no ambiente urbano, foi dando espaço para que, a comunhão entre pessoas e organismos provessem o básico para tantos. Mas será que gerou momentos de “FÉ” de “ENGAJAMNETO SOCIAL”? A questão é que a população ainda requer de muito, e continua a mercê de tudo e todos… então nada se fez concreto…

Se a Fé se traduz em Obras e as mesmas são consequentes, gerando vida, estamos aquém da Fé que São Tiago menciona em sua Carta, no Novo Testamento, e também o apontamento de Santo Antonio de Pádua…

Fé, primeira virtude Teologal, onde se acredita nas verdades reveladas por Deus… Ter Fé em Deus, faz com que valorizemos a vida, o outro (a), sempre no amor, na fraternidade, na solidariedade. A Pandemia do Corona Virus, COVID 19, num determinado momento estará controlada e saberemos conviver com esta realidade, e ainda teremos Fé em Deus? Ou seremos agentes filantrópicos?