Falando de Tecnologia: Mais de 5 milhões de brasileiros caíram em golpes no WhatsApp em 2020; média é de 13,7 mil golpes por dia

Por Agência Rádio 2 – 05/02/2021

 

Mais de 5 milhões de brasileiros caíram em golpes no WhatsApp no ano passado e, se você ainda não foi vítima de golpes do tipo ou de alguma tentativa, é bom ficar atento e se prevenir.  

Eu sou Milena Abreu e este é o tema deste episódio do Falando de Tecnologia. 

PASSAGEM 

O WhatsApp é um dos aplicativos de mensagens mais populares do mundo.   

Administrado pelo Facebook, o mensageiro é usado por aproximadamente 2 bilhões de usuários ao redor do planeta – sendo que 120 milhões desses usuários são brasileiros.  

De acordo com estimativas, o WhatsApp está instalado em 99 de cada 100 smartphones do país. Ou seja, é bem difícil encontrar alguém que não use programa para troca de mensagens – seja para fins pessoais, profissionais ou até mesmo – e cada vez mais – comerciais.  

E tanto usuário infelizmente faz com que seja um campo fértil aos golpistas.  

Um recente levantamento do dfndr lab indica que ao menos 5 milhões de brasileiros caíram em golpes pelo WhatsAppp ao longo de 2020. 

Fazendo uma conta simples, são cerca de 13 mil e 700 golpes por dia.  

No ranking dos estados brasileiros que mais sofrem com esse tipo de estelionato estão São Paulo, onde cerca de 1 milhão e 200 mil pessoas foram vítimas, no ano passado, Rio de Janeiro  e Minas Gerais 

Um dos golpes mais comum é a clonagem do aplicativo. Acontece quando o criminoso consegue assumir controle da conta de uma pessoa – e aí, geralmente, se faz passar por essa pessoa para pedir dinheiro a familiares e amigos dela.  

Outra modalidade de golpe que tem sido bastante registrada é a falsificação, que é quando os fraudadores se valem de informações encontradas, por exemplo, nas redes sociais das vítimas e conseguem mapear contatos próximos. 

 Aí, criam uma nova conta de WhatsApp, usando foto e informações pessoais da vítima, e enviam mensagens para amigos e parentes, dizendo que trocaram de número e que precisam de dinheiro. 

Também tem se tornado comuns as falsificações de perfis de empresa e a í os golpistas também conseguem ludibriar o interlocutor, se passando por uma marca, para conseguir dinheiro.  

As táticas para clonar ou falsificar contas no mensageiro variam bastante, mas o objetivo é sempre o mesmo: roubar dinheiro.  

Os relatos de golpes têm aumentado tanto, que empresas e órgãos governamentais tem avisado que não ligam e nem pede confirmação com códigos enviados por SMS.  

Lembrando que, para que sua conta de WhatsApp seja clonada e deixe de funcionar no seu telefone, passando, a funcionar em outro aparelho, o golpista precisa, além do número do seu celular, do código de autenticação do WhatsApp, que a empresa encaminha por SMS quyando ele está sendo instalado em um novo aparelho. 

É com papo geralmente convincente que os golpistas conseguem que a vítima compartilhe essa preciosa informação.  

Por isso, jamais informe o código de autenticação do aplicativo a terceiros! 

É ideal também, pra se proteger, ativar a “confirmação em duas etapas” nas configurações do WhatsApp, garantindo uma camada extra de proteção para a sua conta. 

Já para se proteger de falsificações, seja no mensageiro ou em qualquer outro aplicativo, evite compartilhar informações pessoais nas redes sociais, como número de telefone, endereço e parentescos. 

Se receber mensagem pelo aplicativo pedindo dinheiro, seja de familiares ou amigos, desconfie. Antes de efetuar o depósito, tente ligar e falar com a pessoa para se certificar sobre a veracidade da mensagem. O mesmo vale para contatos realizados por supostas empresas.  

E caso você, por algum descuido, tenha o seu WhatsApp clonado, entre imediatamente em contato com a empresa pelo email [email protected]  – suporte  escrito em inglês: s u p p o r t .  

Eles dão prazo de até sete dias para que a conta seja recuperada e volta ao normal.