Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Europa busca mão de obra para retomar economia e pode recrutar brasileiros

Por Agência Rádio 2 – 13/10/2021

 

Mercado de trabalho europeu abre espaço para mão de obra estrangeira para avançar na retomada da economia. 

A escassez de profissionais em alguns setores, como técnicos e programadores, move o governo a abrir espaço para trabalhadores de outros países, inclusive brasileiros. 

O pacote de recursos aprovado pela União Europeia permite o incentivo ao setor produtivo para incrementar a economia. 

Da construção civil ao setor de serviços, há vagas para diversas habilidades.  

Os europeus enfrentam dificuldades, por exemplo, no transporte de cargas, em postos de combustíveis e nas áreas de abastecimento, como mercados e restaurantes. 

Também faltam profissionais na área de saúde. 

O Reino Unido permitirá a entrada de cinco mil motoristas de caminhões-tanque e de alimentos para trabalhar até o Natal. 

A Polônia tinha, em 2019, 22% das vagas abertas no setor de transportes; e na Romênia, faltava metade dos profissionais para o mercado, segundo a União Internacional de Transporte Rodoviário. 

No campo técnico, há escassez de trabalhadores de nível médio, de acordo com estudo da Eurofound, agência de pesquisas da União Europeia. 

Isso porque os estudantes que concluem o ensino médio seguem para as universidades e não ocupam vagas técnicas. 

A média de vagas abertas na maior parte dos países do bloco é de 2% do total de postos.  

Na Bélgica e na República Tcheca o índice passa de 4% do total de empregos disponíveis. 

A Dinamarca também anunciou, recentemente, um plano de incentivo à mão de obra de jovens e imigrantes.

As vagas requerem 37 horas de trabalho por semana para garantir acesso aos programas sociais. 

Outro agravante ao mercado de trabalho europeu é o envelhecimento da população. 

Segundo o Banco Mundial, em 2020, pessoas com mais de 65 anos representavam 21% do total de habitantes da região, que não tem um plano para ocupação dos postos por pessoas mais velhas.