Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Durante a pandemia, 43% interromperam o tratamento de doenças crônicas e a ida ao médico

Por Agência Rádio 2 – 26/05/2021

 

Mais da metade dos brasileiros, um índice de 58 por cento, adiou ou reduziu exames médicos por causa da pandemia.

E um dado ainda mais preocupante: 43 por cento interromperam o tratamento de uma doença crônica e diminuíram a ida ao médico.

O medo da Covid-19, as restrições para receber pacientes em hospitais e a transferência de leitos para tratar pacientes com a infecção contribuíram para a queda das consultas e exames.

O descuido com a saúde durante a pandemia é mostrado por pesquisa da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial e da Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial.

O levantamento indica que apenas dois por cento dos brasileiros passaram a fazer mais consultas, desde que a pandemia começou.

Entre os motivos apontados estão o tratamento da ansiedade, o agravamento do diabetes ou o acompanhamento de outros procedimentos de saúde.

Ao mesmo tempo, 55 por cento mantiveram a frequência de vistas a médicos e 41 por cento não mudaram a rotina de realizar exames.

O presidente da Sociedade Brasileira de Patologia, Carlos Eduardo dos Santos Ferreira, diz que algumas consequências do receio de ir ao médico foram verificadas ao longo dos meses.

Ele cita pacientes atendidos com quadros avançados de infarto, processos infecciosos, Acidente Vascular Cerebral ou até mesmo falecimentos ocorridos em casa.

Deixar a prevenção de lado pode trazer consequências no longo prazo, principalmente no caso de doenças crônicas, alerta Ferreira.

A pesquisa ouviu 200 pessoas, em São Paulo e no Rio de Janeiro, sendo que metade tinha plano ou seguro de saúde.

Colabore com a Rádio Diocesana, seja um Amigo da Rádio. Entre em contato no fone (16) 3362-4485 ou pelas nossas Redes Sociais.