Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Dia Mundial de Prevenção do Suicídio: todos devem ficar atentos aos sinais do comportamento suicida

Por Agência Rádio 2 – 10/09/2021

 

Perder um ente querido para o suicídio é na grande maioria das vezes inesperado e inimaginável, além de ser sempre surpreendentemente triste.

Principalmente porque geralmente familiares e amigos não perceberam ou não acreditaram, mesmo diante de alguns sinais, que aquela pessoa tiraria a própria vida.

O Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, lembrado em 10 de setembro, chama a atenção para a importância de todos estarem atentos ao comportamento suicida.

Muitas vezes a pessoa fala que pensa em morrer ou em se matar, demonstra tristeza excessiva, não tem vontade de ficar com os outros e tem mudanças no comportamento.

Outro motivo que exige preocupação é quando alguém que apresenta esse quadro fica feliz repentinamente, pois pode ser sinal de aceitação de encerrar a vida.

O suicídio não escolhe nível social, financeiro ou idade e em mais de 96 por cento dos casos está relacionado a transtornos mentais, principalmente a depressão.

Em seguida, entre as principais causas, aparecem o transtorno bipolar e o uso de substâncias.

Para alertar sobre o tema, a Associação Brasileira de Psiquiatria realiza todos os anos a campanha Setembro Amarelo, em parceria com o Conselho Federal de Medicina.

Um estudo recente da empresa de pesquisas Hibou mostra que cerca de 42 por cento dos brasileiros já tiveram pensamentos suicidas.

Desse total, mais de 81 por cento buscaram ajuda médica e especializada.

No entanto, a pesquisa também mostra que 94 por cento dos participantes já ouviram algo como “isso é frescura” ser dito para alguém com depressão.

E 72 e meio por cento conhecem pelo menos uma pessoa que tentou suicídio ou tirou a própria vida.

O tema é sensível e assusta, mas de acordo especialistas, é importante que as pessoas conversem, se apoiem e tenham mais informação sobre os transtornos emocionais que podem levar ao suicídio.

O estudo da Hibou ouviu cerca de dois mil e 100 brasileiros, maiores de 18 anos, entre os dias 25 e 26 de agosto.