Dia Mundial de Combate à Poliomielite: baixa cobertura vacinal acende alerta em todo o Brasil

Por Agência Rádio 2 – 24/10/2022

 

Baixa cobertura vacinal contra poliomielite é motivo de preocupação em todo o País.

Causada pelo poliovírus, a poliomielite, ou paralisia infantil, é uma doença potencialmente grave que afeta principalmente as crianças, como explica o médico infectologista Marco Sáfadi.

24 de outubro é o Dia Mundial de Combate à Poliomielite, data para reforçar a importância da vacinação, que é a única forma de prevenção da doença.

No Brasil, todas as crianças menores de cinco anos de idade devem ser vacinadas conforme esquema definido no Plano Nacional de Imunizações: três doses da vacina injetável, aos 2, aos 4 e aos 6 meses, com doses de reforço aos 15 meses e 4 anos de idade da vacina oral, a famosa gotinha.

Em 1994, o nosso país foi certificado pela OMS como livre da poliomielite, mas a baixa cobertura vacinal nos últimos anos tem preocupado os especialistas.

A campanha nacional realizada entre agosto e setembro deste ano, por exemplo, que tinha como meta imunizar 95% dos mais de 14 milhões de brasileiros menores de 5 anos de idade, só conseguiu vacinar pouco mais de metade do público-alvo.

O médico Marco Sáfadi lamenta e explica que a baixa cobertura vacinal deixa toda a população vulnerável à volta da doença.

Se você pai, mãe ou responsável por uma criança menor de 5 anos de idade e não sabe se ela está devidamente protegida contra a poliomielite, a orientação é ir até um posto de saúde levando a carteirinha de vacinação para que ela receba a dose, caso necessário.