Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Dia Internacional da Mulher, data que ainda depende de muita conscientização para ser comemorada

Por Agência Rádio 2 – 08/03/2022

 

8 de março, Dia Internacional da Mulher. Uma data que marca a luta por igualdade de direitos, pelo fim das discriminações, das violências físicas e morais sofridas pelas mulheres.

De acordo com um relatório da ONU, em 57 países, apenas cerca da metade das meninas e mulheres possuem autonomia corporal.

Isso inclui decidir sobre procurar atendimento médico ou serviços de saúde sexual, sobre a utilização de métodos contraceptivos e sobre fazer ou não sexo com seu marido ou parceiro e quando.

O poder de fazer escolhas, sem medo da violência, ainda é limitado para mulheres em diversas localidades do mundo.

Os dados de 2021 da ONU mostram que em países como Mali, Níger e Senegal, 90% das mulheres não possuem autonomia corporal.

No Brasil, a lei garante esse direito às mulheres, mas nem sempre isso é respeitado.

No ano passado, o País registrou mil 319 feminicídios, de acordo com levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Na comparação com 2020, houve uma redução de 2,4%, com 32 mortes a menos, mas apesar da queda, o número é alto e mostra que essas mulheres não tiveram o direito de decidir sobre suas vidas.

Outro dado que assusta é que, a cada dez minutos, uma mulher foi estuprada no Brasil em 2021.

Ao todo foram registrados 56 mil e 98 casos, 3,7% a mais que no ano anterior.

Neste 8 de março, vamos valorizar cada mãe, avó, bisavó, tia, irmã, professora e tantas outras mulheres batalhadoras, que já fizeram ou fazem parte da nossa vida.

Parabéns a você que é mulher!