Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Dedos de Covid: sintoma raro atinge mãos e pés após infecção pelo coronavírus

Por Agência Rádio 2 – 13/10/2021

 

Lesões semelhantes a frieiras nos dedos dos pés e das mãos são sinais raros deixados pela Covid-19. 

São os chamados “dedos de Covid” nome para identificar a reação no meio científico. 

A descoberta de cientistas da Universidade de Paris e do Hospital Saint Louis, na França, aponta que principalmente os jovens podem ter o sintoma associado à infecção provocada pelo novo coronavírus. 

O estudo foi publicado na revista científica British Journal of Dermatology. 

As sequelas são caracterizadas por machucados vermelhos ou de cor mais escura, arroxeados ou marrons, associado a coceira e queimação. 

Alguns pacientes têm sensações intensas que dificultam a caminhada ou mesmo calçar sapatos. 

Os cientistas analisaram 50 pacientes com esses tipos de lesões e mais da metade deles tinham sintomas leves da Covid-19, como tosse, falta de ar e perda do olfato. 

Segundo os médicos, os participantes do estudo tiveram teste negativo para a doença, mas já tinham sido infectados e não estavam mais com o vírus. 

Os problemas na pele surgiram como reações do sistema imunológico após a contaminação. 

Uma escocesa de 13 anos contou à BBC que a dificuldade para andar era muito grande, que precisou usar cadeira de rodas para se locomover em longas distâncias. 

Além da vermelhidão e ardor na pele, algumas pessoas desenvolvem lesões mais graves, como bolhas doloridas ou áreas ásperas, às vezes, com pus. 

As lesões podem durar algumas semanas ou se prolongar por meses e, na maioria das vezes, desaparecem naturalmente.  

Alguns pacientes necessitam de medicamentos para minimizar o incômodo. 

Os casos foram mais recorrentes na fase inicial da doença e poucos foram associados à variante Delta.