Crise faz brasileiro abrir mão do zero quilômetro e puxa vendas de veículos usados

Por Umberto Ferretti, da Agência Rádio 2

 

Vendas de veículos novos crescem três e meio por cento, no Brasil, em outubro, na comparação com setembro.

Foram emplacadas, ao todo, 215 mil unidades.

Os números são da Anfavea, entidade que reúne os fabricantes.

Ela destacou que o setor segue em recuperação, quando se leva em conta o tombo do começo da pandemia, porém que o desempenho é ruim, na comparação com o que acontecia antes do coronavírus.

Em relação a outubro do ano passado, por exemplo, as vendas despencaram 15 por cento.

O presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, explica que, em situações normais, para cada carro novo emplacado no País são negociados cerca de três usados.

Agora, com o aperto causado pela crise, os usados têm sido a preferência de muito comprador.

Luiz Carlos Moraes  destaca que, além da perda de vendas, o setor automotivo tem enfrentado uma série de outras dificuldades, por conta da pandemia e da crise.

O total de trabalhadores na indústria automotiva caiu, de um ano pra cá, de quase 128 mil para pouco mais de 121 mil.