Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Como eu vivo “Amoris laetitia”, as famílias contam suas histórias

Por Alessandro De Carolis – Vatican News – 23/03/2021
Em 25 de março, o Dicastério Leigos, Família e Vida, em colaboração com o Dicastério para a Comunicação, dá início a uma iniciativa dedicada à Exortação Apostólica, cinco anos após sua publicação. Dez famílias de várias partes do mundo oferecerão seus depoimentos em vídeo sobre o documento do Papa. O cardeal Farrell: é um convite para compreender hoje os desafios e as bênçãos da vida familiar.

“A alegria do amor que se vive nas famílias é também o júbilo da Igreja”. O início da Exortação Apostólica Amoris laetitia, que Francisco promulgou em 19 de março de 2016, expressa qual é o sentimento dominante da Igreja universal em relação à “pequena igreja” da família. Com atenção e intensidade, os 325 números do documento papal entram na “carne” das fragilidades familiares para depois relançar a beleza desses laços de acordo com o plano de Deus.

Cinco anos depois, o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida decidiu celebrar o recorrência e o início do Ano especial desejado por Francisco e inspirado na Amoris laetitia, oferecendo, entre as muitas iniciativas, um espaço de testemunho a dez famílias de várias origens geográficas, que a cada mês, a partir de 25 de março, contarão algo de suas vidas e de sua fé “medindo-se”, por assim dizer, com os ensinamentos do Papa, que em cada episódio da série refletirá sobre algum aspecto do documento. Os vídeos, acompanhados por um subsídio pastoral que pode ser baixado, foram produzidos em colaboração com o Dicastério para a Comunicação, que os publicará no portal Vatican News em 5 idiomas, e os mesmos estarão disponíveis no site www.amorislaetitia.va.

Estes testemunhos em vídeo” – afirma apresentando o projeto o cardeal Kevin Farrell, que dirige o dicastério vaticano – são um “presente que o Papa Francisco deu a cada um de nós” e juntos “um momento para recordar que este grande ensinamento é atual no nosso mundo, hoje’. “Espero e rezo”, conclui o cardeal Farrell, “que todos possamos nos reunir para ouvir, para sentir e compreender a importância deste documento para nosso mundo de hoje”. Este, na história da humanidade, é um momento que requer o compromisso de cada um de nós para compreender melhor os desafios e as bênçãos da vida familiar, para o bem da humanidade e da sociedade em geral”.