Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Casos de violência contra a mulher em casa cresceram com a pandemia

Por Agência Rádio 2 – 08/06/2021

 

Nos últimos doze meses, uma em cada quatro mulheres foi vítima de violência no Brasil.

E a grande maioria dos casos ocorreu dentro de casa e foi cometida por alguém próximo da vítima.

Além do companheiro, em segundo lugar como autores das agressões aparecem o pai, a mãe, o irmão, a irmã ou outra pessoa do convívio familiar.

A participação de filhos e enteados é maior nos casos que envolvem mulheres acima dos 50 anos de idade.

O vizinho, que aparecia em segundo lugar no levantamento anterior, quando a pandemia ainda não tinha começado no país, deixou de ser citado desta vez.

A pesquisa foi encomendada ao Datafolha pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e indica que 17 milhões de mulheres, com 16 anos ou mais, sofreram violência física, psicológica ou sexual no último ano.

O percentual é de 24 vírgula quatro por cento e é menor que o do levantamento de 2019, de 27 vírgula quatro por cento.

No entanto, as agressões de rua diminuíram e passaram de 29 por cento para 19 por cento.

Já os casos de violência dentro de casa aumentaram de 42 por cento para 48 vírgula oito por cento.

Durante a pandemia, também cresceu a participação de companheiros, namorados e ex-namorados nas agressões.

O levantamento “Visível e Invisível: a Vitimização de Mulheres no Brasil” ouviu duas mil e 79 participantes, entre os dias 10 e 14 de maio deste ano, em 130 municípios brasileiros.