Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Brasil recicla pouco vidro, e você sabe por quê?

Por Agência Rádio 2 – 29/11/2021

 

Os desafios da reciclagem no Brasil são enormes. Nem 10% dos resíduos produzidos são corretamente destinados.

Há muitas questões envolvidas, que vão desde falhas na coleta seletiva até falta de conscientização da população e das empresas.

Além disso, há também os problemas específicos da cadeia de cada tipo de material  e, nesse sentido, o vidro é o que encontra as maiores dificuldades.

Apesar de ser um material 100% reciclável, menos de 50% de resíduos industriais e pós-consumo de vidro são reaproveitados.

A diretora de Operações da eureciclo, Marcella Bueno, diz que o fato de a indústria vidreira estar concentrada em apenas dois pontos do país ajuda a explicar as baixas taxas de reciclagem do material.

Como o resíduo de vidro é um material considerado barato na cadeia de reciclagem, os custos com transporte acabam inviabilizando a operação na maioria dos casos.

Apesar das adversidades, algumas iniciativas tentam transformar essa realidade e a eureciclo tem tido uma papel relevante para que a reciclagem do vidro seja mais simples e vantajosa.

Por meio dos certificados de reciclagem, a companhia remunera centrais e operadoras para que acumulem vidro em pontos estratégicos do país, assim o material pode ser transportado com menor custo até a indústria.

Um dos operadores parceiros nesse processo é a Berpan Ambiental, do Mato Grosso do Sul.

Incentivada pela eureciclo, a empresa, que não fazia a gestão de resíduos de vidro, se estruturou para trabalhar com o material e já consegue dar a correta destinação a cerca de 200 toneladas de vidro por mês, como conta o diretor Fabrício Berton.

No início de 2020, apenas 19 operadores parceiros da eureciclo trabalhavam com vidro. Atualmente, são 40 operadores e cooperativas fazendo esse serviço, o que mostra um empenho para aumentar as taxas de reciclagem do país, inclusive de matérias complexos.