Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Apesar dos riscos, empréstimos com a casa como garantia aumentam 61%

Por Agência Rádio 2 – 18/08/2021

 

Cresce o número de brasileiros que utilizam o imóvel como garantia para conseguir empréstimo a juros menores.

O Banco Central informa que o aumento foi de 61 por cento em 2020, na comparação com 2019.

O valor contratado por meio da modalidade, no ano passado, alcançou quatro bilhões e 600 milhões de reais.

Ela possibilita oferecer até 60 por cento do valor da casa como garantia, com prazo de pagamento de até 20 anos e juros próximos a 12 por cento ao ano.

Uma taxa bem abaixo dos mais de 309 por cento ao ano do rotativo do cartão de crédito, por exemplo, como apontam os dados do Banco Central.

Mas apesar de mais barata, a linha de crédito oferece um grande risco: o de perder o imóvel se a dívida não for paga.

Especialistas ouvidos pelo UOL alertam que é preciso ter cuidado, pois em poucos meses de atraso a financeira já pode entrar com pedido de leilão.

Se a pessoa não tiver uma reserva financeira que garanta o pagamento das prestações, o ideal é não correr o risco de colocar o imóvel como garantia em um empréstimo.