Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Apesar de tentadora, antecipar a restituição do IR nem sempre é opção vantajosa

Por Agência Rádio 2 -05/04/2021

 

O prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda está aberto desde o dia primeiro de março.

Aproximadamente 10 milhões de pessoas já acertaram as contas com o Leão, que começa a restituir os contribuintes em maio.

Neste ano, a previsão é que pagamentos regulares sejam feitos em 5 lotes mensais.

A Receita segue alguns critérios para escalonar as devoluções e, um deles, é a data de entrega da declaração. Quem entrega primeiro, tende a ser restituído nos primeiros lotes, caso não haja pendências.

Mas pode ser que você tenha pressa, alguma urgência, e precise do dinheiro antes ter a restituição paga pelo Fisco.

Pedir a antecipação ao banco onde se tem conta é a opção geralmente escolhida por quem está nessa situação.

Geralmente basta apresentar o recibo de entrega da declaração que o banco adianta o valor que será restituído. Os juros são menores do que em um empréstimo convencional e o pagamento da dívida é feito em parcela única, no dia em a pessoa recebe o dinheiro do governo.

O problema é que, se cair na malha fina e a restituição demorar para chegar, será preciso honrar o compromisso até a data pré-estipulada pelo banco no contrato de empréstimo, tendo ou não recebido do Leão.

Por isso, apesar da tentação, os especialistas financeiros recomendam cautela. Eles explicam que esse tipo de negócio vale apenas para quem tem dívidas com juros altos, como cheque especial e cartão de crédito, por exemplo.

Quem não está nessa situação, não deve arriscar. A orientação é organizar as contas e esperar o pagamento da Receita.