Anúncio de compra parcelada sem juros pode ser proibido; governo quer incluir cartões

Da Redação – 22/12/2020

 

Câmara de Deputados deve votar, ainda este ano, projeto que proíbe anúncios de crédito sem juros em compra parcelada.

A medida está no âmbito da polêmica: de um lado, o governo quer estender a rega para cartões de crédito, que seriam impedidos de usar os termos: “parcelado sem juros” ou “taxa zero”.

A justificativa é de que os termos representam propaganda enganosa, uma vez que toda operação de crédito tem custo, que, geralmente, é repassado ao consumidor.

De outro lado, instituições e comerciantes reclamam o direito de se valer de estratégias de mercado e que a oferta de parcelamento sem juros é lícita.

Segundo reportagem do UOL, a medida implica em mais prejuízo aos negócios, já muito abalados pela pandemia de Covid-19.

E que as vendas parceladas no cartão são fundamentais para estimular o consumo.

O projeto de lei de prevenção ao superendividamento é de autoria do senador José Sarney (PMDB-AP) e foi apresentado em 2015.