Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Aliança global deve garantir 1,6 mi de doses da vacina de Oxford para o Brasil no 1º tri

Por Agência Rádio 2 – 04/02/2021

 

O Brasil deve receber um milhão e 600 mil doses da vacina Oxford/AstraZeneca contra o coronavírus até o fim de março, por meio do consórcio de vacinas Covax.  

A aliança global, liderada pela Organização Mundial da Saúde, visa garantir o acesso mais igualitário dos países às vacinas contra a Covid-19, priorizando esforços para garantir o envio de imunizantes aos países mais pobres.  

De acordo com números já divulgados, a aliança Covax Facility vai disponibilizar ao menos 2 bilhões de doses de vacinas até o fim de 2021 e 92 países deverão ter acesso a 1 bilhão e 300 milhões de doses ainda no primeiro semestre.  

O Brasil participa da aliança – apesar de não figurar entre os mais pobres.  

O que ajuda a explicar o fato de a entrega estar abaixo da quantidade estimada pelo Ministério da Saúde.  

A pasta havia informado no último sábado que o Brasil receberia de 10 a 14 milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca por meio da Covax em meados de fevereiro. 

Ainda de acordo com o mais recente anúncio da aliança global, além das doses da Oxford/AstraZeneca, previstas para serem enviadas até fim de março, o nosso país deve receber mais cerca de 6 milhões de vacinas no segundo trimestre.  

Além disso, outros 3 milhões devem ser entregues no segundo semestre, totalizando 10 milhões e 600 mil de doses de vacina contra o novo coronavírus nesta primeira fase. 

Quando aderiu à aliança global, o governo brasileiro contratou doses de vacinas para o equivalente a 10% da população brasileira, ou seja, 42,5 milhões de doses, considerando que cada pessoa deve receber duas doses da vacina.  

Portanto, de acordo com a previsão de distribuição divulgada, apenas um quarto desse total será enviado ao Brasil na primeira fase de distribuição mundial das doses.