Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

AGU pede habeas corpus ao Supremo para que Pazuello possa ficar em silêncio na CPI da Covid

Por Agência Rádio 2 – 14/05/2021

 

A Advocacia-Geral da União entrou com pedido de habeas corpus junto ao Supremo Tribunal Federal  para que o ex-ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello, possa ficar em silencio durante a oitiva na CPI da Pandemia, no Senado.

O depoimento de Pazuello está marcado para o dia 19.

A AGU também pediu à Corte que Pazuello possa comparecer à CPI acompanhado de um advogado da União, com o argumento de que a Comissão Parlamentar investiga atos que se referem ao período em que o general era chefe do Ministério da Saúde, o que lhe garantiria esse direito.

Nesta quinta-feira, o executivo da Pfizer, Carlos Murillo, confirmou à CPI da Covid que o governo brasileiro não respondeu às propostas de venda de vacina.

Segundo ele, se o Brasil tivesse negociado com a empresa a aquisição dos imunizantes ainda em agosto de 2020, o país poderia ter recebido 4,5 milhões de doses a mais de vacinas contra a Covid-19 até março deste ano.

Apesar disso, em transmissão na internet, na noite desta quinta, o presidente Jair Bolsonaro saiu em defesa de Pazzuelo  e disse que ele ‘acertou em tudo’.

Já os senadores de oposição que compões a CPI avaliam que o pedido para que o general fique em silêncio durante seu depoimento é uma confissão de culpa.

Quem vai analisar os pedidos da AGU é o ministro Ricardo Lewandowski e a expectativa, em razão de jurisprudência já existente, é que que ele conceda o habeas corpus em favor do general.

Colabore com a Rádio Diocesana, seja um Amigo da Rádio. Entre em contato no fone (16) 3362-4485 ou pelas nossas Redes Sociais.