Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

A Paralimpíada de Tóquio 2020 começa hoje e 253 brasileiros estarão presentes em 22 modalidades

Por Erica Roveder – 24/08/2021

 

Dentre esses 253 classificados, estão atletas guias, calheiros, goleiros e timoneiro. A delegação brasileira é formada por 159 homens e 94 mulheres.

Para se ter uma ideia de como a participação brasileira aumentou ao longo dos anos, Na última edição de Jogos Paralímpicos fora do Brasil, em Londres 2012, o Brasil compareceu com 178 atletas, até então a maior. O número para a capital japonesa só é superado pela participação nos Jogos Rio 2016, já que o Brasil garantiu vagas em todas as modalidades por ser país sede e contou 286 atletas no total.

Vamos as modalidades:

No Futebol de 5 O Brasil tem 10 vagas garantidas e não nominais. A modalidade é dominada pelos brasileiros, que possuem quatro medalhas de ouro paralímpicas. A classificação veio com o título mundial em 2018.

No Judô São nove atletas que vão defender o Brasil nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, sendo cinco no masculino e quatro no feminino. O maior destaque está no masculino, para Antônio Tenório (100kg). Ele é tetracampeão olímpico (Atlanta-1996, Sydney-2000, Atenas-2004 e Pequim-2008), medalhista de prata na Rio-2016 e bronze em Londres-2012.

Na modalidade Goalball São 12 vagas garantidas e não nominais para Tóquio-2020. Cada uma das equipes, feminina e masculina, tem seis atletas

No Tênis de Mesa, A modalidade já tinha 10 brasileiros garantidos para 2021, cinco via ranking mundial e cinco por conquistas no Parapan de Lima-2019,  Depois, mais quatro atletas conseguiram a classificação via Seletiva.

Tem a modalidade de Tênis em Cadeira de Rodas. O Brasil terá a presença de sete tenistas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Temos também atletas no Vôlei Sentado. Nos dois naipes, o Brasil está garantido na Paralimpíada de Tóquio-2020. Serão 24 brasileiros no total, 12 no feminino e 12 no masculino.

E na modalidade Atletismo temos 66 vagas. No Mundial de Dubai 2019, o Brasil teve 14 medalhistas de ouro, que praticamente garantiram lugares para o país em Tóquio. Fora as 35 vagas obtidas pelo mundial de dubai, uma outra foi conquistada na maratona de Londres. Depois outros atletas conseguiram vagas pelo ranking. Fora os 66 atletas, outros 20 atletas guias estão na delegação.

Tem a Natação com 36 representantes sendo que 4 deles foram ouro no mundial de Londres em 2019, incluindo Daniel dias, que sempre se destaca nos jogos paralimpicos,

Na Bocha temos 10 atletas que Foram classificados para as disputas por equipes BC1/BC2 e pares BC3 e pares BC4. O Brasil também garantiu uma vaga no individual de cada classe, totalizando nove.

Na modalidade Tiro com arco teremos 6 vagas, sendo, Jane Karla, do arco composto, que garantiu a primeira vaga para o Brasil através do Mundial de 2019, onde terminou na sexta posição. Mais tarde, outras cinco vagas foram conquistadas.

No Ciclismo serão 5 atletas. Lauro Chaman garantiu uma vaga para o Brasil no ciclismo de estrada e, automaticamente, uma no de pista, além de outras 3 vagas garantidas

Na Canoagem, no Mundial, os seis primeiros colocados em cada uma das nove provas que serão disputadas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio garantiram vaga na competição. Além desses, outros três brasileiros garantiram suas respectivas vagas.

Tem representante no Remo, O Brasil conquistou três vagas para a Paralimpíada no Campeonato Mundial de Remo e Remo Paralímpico 2019. Todas pertencem ao país. Fora essas três vagas, outras quatro foram conquistadas via ranking.

Teremos um atleta representando no tiro, Alexandre Galgani faturou a medalha de prata na etapa de Al Ain da Copa Mundo de Tiro Esportivo, nos Emirados Árabes Unidos, e a vaga para o Brasil em 2021.

No Taekwondo, tem 3 vagas, sendo A vaga da lutadora Débora Menezes (+58kg) veio após ficar em segundo lugar no ranking mundial ao término de janeiro 2019, período usado para qualificação direta pelo ranking.

No Hipismo tem 2 representantes. As vagas brasileiras são no adestramento paraequestre.

1 vaga for conquistada no Badminton , o atleta foi convocado para o badminton dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020.

A Esgrima paralímpica do Brasil vai ser representada por quatro atletas. Jovane Guissone e Carminha de Oliveira são da Associação dos Deficientes Físicos do Paraná. Já Mônica Santos e Vanderson Chaves são do Grêmio Náutico União, do Rio Grande do Sul.

O Halterofilismo tem sete atletas representando o país. Com quatro homens e três mulheres, o Brasil tem sete classificados para Tóquio 2020 no halterofilismo. E a chance de medalha é bem alta. Destaque para Evânio Rodrigues da Silva, único medalhista brasileiro no esporte com a prata na Rio-2016.

Quatro atletas vão representar o Triatlo brasileiro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, sendo três homens e uma mulher. Jéssica Messali é a representante no feminino. Carlos Viana, Jorge Luis Fonseca e Ronan Codeiro estão no masculino

Dentre esses 253 classificados, estão atletas guias, calheiros, goleiros e timoneiro. A delegação brasileira é formada por 159 homens e 94 mulheres.

Para se ter uma ideia de como a participação brasileira aumentou ao longo dos anos, Na última edição de Jogos Paralímpicos fora do Brasil, em Londres 2012, o Brasil compareceu com 178 atletas, até então a maior. O número para a capital japonesa só é superado pela participação nos Jogos Rio 2016, já que o Brasil garantiu vagas em todas as modalidades por ser país sede e contou 286 atletas no total.

Vamos as modalidades

No Futebol de 5 O Brasil tem 10 vagas garantidas e não nominais. A modalidade é dominada pelos brasileiros, que possuem quatro medalhas de ouro paralímpicas. A classificação veio com o título mundial em 2018.

No Judô São nove atletas que vão defender o Brasil nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, sendo cinco no masculino e quatro no feminino. O maior destaque está no masculino, para Antônio Tenório (100kg). Ele é tetracampeão olímpico (Atlanta-1996, Sydney-2000, Atenas-2004 e Pequim-2008), medalhista de prata na Rio-2016 e bronze em Londres-2012.

Na modalidade Goalball São 12 vagas garantidas e não nominais para Tóquio-2020. Cada uma das equipes, feminina e masculina, tem seis atletas

No Tênis de Mesa, A modalidade já tinha 10 brasileiros garantidos para 2021, cinco via ranking mundial e cinco por conquistas no Parapan de Lima-2019,  Depois, mais quatro atletas conseguiram a classificação via Seletiva.

Tem a modalidade de Tênis em Cadeira de Rodas. O Brasil terá a presença de sete tenistas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Temos também atletas no Vôlei Sentado. Nos dois naipes, o Brasil está garantido na Paralimpíada de Tóquio-2020. Serão 24 brasileiros no total, 12 no feminino e 12 no masculino.

E na modalidade Atletismo temos 66 vagas. No Mundial de Dubai 2019, o Brasil teve 14 medalhistas de ouro, que praticamente garantiram lugares para o país em Tóquio. Fora as 35 vagas obtidas pelo mundial de dubai, uma outra foi conquistada na maratona de Londres. Depois outros atletas conseguiram vagas pelo ranking. Fora os 66 atletas, outros 20 atletas guias estão na delegação.

Tem a Natação com 36 representantes sendo que 4 deles foram ouro no mundial de Londres em 2019, incluindo Daniel dias, que sempre se destaca nos jogos paralimpicos,

Na Bocha temos 10 atletas que Foram classificados para as disputas por equipes BC1/BC2 e pares BC3 e pares BC4. O Brasil também garantiu uma vaga no individual de cada classe, totalizando nove.

Na modalidade Tiro com arco teremos 6 vagas, sendo, Jane Karla, do arco composto, que garantiu a primeira vaga para o Brasil através do Mundial de 2019, onde terminou na sexta posição. Mais tarde, outras cinco vagas foram conquistadas.

No Ciclismo serão 5 atletas. Lauro Chaman garantiu uma vaga para o Brasil no ciclismo de estrada e, automaticamente, uma no de pista, além de outras 3 vagas garantidas

Na Canoagem, no Mundial, os seis primeiros colocados em cada uma das nove provas que serão disputadas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio garantiram vaga na competição. Além desses, outros três brasileiros garantiram suas respectivas vagas.

Tem representante no Remo, O Brasil conquistou três vagas para a Paralimpíada no Campeonato Mundial de Remo e Remo Paralímpico 2019. Todas pertencem ao país. Fora essas três vagas, outras quatro foram conquistadas via ranking.

Teremos um atleta representando no tiro, Alexandre Galgani faturou a medalha de prata na etapa de Al Ain da Copa Mundo de Tiro Esportivo, nos Emirados Árabes Unidos, e a vaga para o Brasil em 2021.

No Taekwondo, tem 3 vagas, sendo A vaga da lutadora Débora Menezes (+58kg) veio após ficar em segundo lugar no ranking mundial ao término de janeiro 2019, período usado para qualificação direta pelo ranking.

No Hipismo tem 2 representantes. As vagas brasileiras são no adestramento paraequestre.

1 vaga for conquistada no Badminton , o atleta foi convocado para o badminton dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020.

A Esgrima paralímpica do Brasil vai ser representada por quatro atletas. Jovane Guissone e Carminha de Oliveira são da Associação dos Deficientes Físicos do Paraná. Já Mônica Santos e Vanderson Chaves são do Grêmio Náutico União, do Rio Grande do Sul.

O Halterofilismo tem sete atletas representando o país. Com quatro homens e três mulheres, o Brasil tem sete classificados para Tóquio 2020 no halterofilismo. E a chance de medalha é bem alta. Destaque para Evânio Rodrigues da Silva, único medalhista brasileiro no esporte com a prata na Rio-2016.

Quatro atletas vão representar o Triatlo brasileiro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, sendo três homens e uma mulher. Jéssica Messali é a representante no feminino. Carlos Viana, Jorge Luis Fonseca e Ronan Codeiro estão no masculino